Nome bíblico em livro de Steve Jobs reacende debate do “culto à Apple”

Deixe um comentário

11 de Junho de 2011 por wesleycoresma

Livro com a biografia do CEO da Apple faz alusão ao livro de Jó

Nome bíblico em livro de Steve Jobs reacende debate do “culto à Apple”

O subtítulo da biografia oficial do fundador da Apple, Steve Jobs, traz um trocadilho com um livro da Bíblia e reacende a polêmica do culto a marca, confirmando que a empresa é tratada como uma religião tanto pelos consumidores como pelos funcionários.

“iSteve: o livro de Jobs”, remete ao texto bíblico de Jó, descendente de Abraão e figura importante do judaísmo e das religiões cristãs. Em inglês, a diferença é de uma letra, de “The Book of Job” para “The Book of Jobs”.

Essa não é a primeira vez que a Apple faz piada da semelhança entre o comportamento de seus consumidores com os praticantes de uma fé. Voltemos a 27 de janeiro de 2010. Um slide, em meio à apresentação de Steve Jobs do iPad original, mostra uma frase colhida de uma nota de jornal: “Da última vez em que houve tanta empolgação por uma ‘tábua’, ela tinha alguns mandamentos escritos nela”. Ao lado, uma imagem representando Moisés com as Tábuas da Lei e seus Dez Mandamentos.

Steve Jobs é tratado como um profeta da tecnologia nunca havia chegado tão perto de reconhecer publicamente a existência de um culto em torno da marca que ele ajudou a fundar. Esta é uma característica que há tempos dá à Apple uma vantagem competitiva relevante no mercado de computadores e equipamentos eletrônicos, e virou tema de documentários, livros, filmes e estudos acadêmicos.

Um desses estudos mostra que os consumidores dos produtos da Apple se comportam como membros de grupos religiosos. “Quando um usuário de Macintosh encontra outros, ele se sente em comunidade. É como se eles tivessem uma história em comum, da mesma forma que pessoas que compartilham a mesma fé,” disse o professor Russell Belk, que realizou uma pesquisa em 2002 com os consumidores da marca.

Neste estudo, Belk ouviu relatos recheados de termos religiosos: eles tentam “evangelizar” e ”converter” um usuário de PC ou donos de aparelhos celulares diferentes do iPhone. Reclamam da “perseguição” imposta por aqueles que não crêem na superioridade da marca, e relatam uma vida de “sacrifícios”, como viver sem a mesma gama de programas que donos de outros computadores.

O fato é que com seu livro com título quase bíblico e a citação à frase do “Wall Street Journal” sobre os Dez Mandamentos, ele vem mandando recados claros para seus seguidores: a maior empresa do mundo da tecnologia está disposta a arrebanhar mais fiéis.

Fonte: G1

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: